07 de Outubro de 2011

O secretário da Agricultura, da Pecuária e do Desenvolvimento Agrário, Jaime Café, e o subsecretário de Energias Limpas, Ailton Araújo, se reuniram com o presidente da Abeer – Associação Brasileira das Empresas de Energias Renováveis, Antonio Granadeiro. Na pauta do encontro, que aconteceu na tarde desta quinta-feira, 6, no gabinete da Secretaria da Agricultura, a implantação de um sistema de energia solar para os prédios das secretarias de Governo e na praça dos Girassóis. Estima-se que com o projeto de iluminação solar seja reduzido até 60% de consumo de energia.

Ao apresentar o sistema de energia solar, o presidente da Abeer, Antonio Granado, destacou as vantagens econômicas que a iluminação garante no consumo. “Além de reduzir em 60% o consumo, a luminária é de alta qualidade, com durabilidade de 50 mil horas, ou seja, em torno de 11 anos, sem precisar fazer manutenção”, garantiu, acrescentando que o projeto tem capacidade de gerar 10 mega wats de energia solar.

Na ocasião, o secretário Jaime Café disse que se implantado o projeto de energia solar, este se tornaria modelo para todo o Tocantins. “É de suma importância e o Governo do Estado tem interesse neste projeto inovador para reduzir, sobretudo, os gastos públicos”, disse.



Outras vantagens

A iluminação, por meio do sistema de energia solar, garante ainda benefícios como: maior visibilidade à noite, devido a uniformidade e temperatura; tempo de vida útil extremamente grande; ecologicamente correto, com baixo impacto ambiental e livre de metais pesados.


Praça dos Girassóis

A Praça dos Girassóis possui nove secretarias de Estado. A previsão é construir mais três prédios, totalizando 12 secretarias. O sistema de iluminação abrange também os estacionamentos, que atualmente tem 28 estacionamentos centrais, com 38,6 mil metros quadrados e outros 24 laterais, com 13,2 mil metros quadrados. 

fonte:http://surgiu.com.br/noticia/

publicado por adm às 22:08

04 de Outubro de 2011

 

Ares futuristas começam a recobrir um histórico símbolo da capital inglesa. Construída na era do vapor, em 1886, a ponte de Blackfriars, sobre o rio Tâmisa, emLondres, se tonará em breve a maior ponte solar do mundo.

A estrutura vitoriana passa por um retrofit, com conclusão em 2012, para se transformar em uma estação de trem movida pela energia gerada por mais de 4 mil paineis fotovoltaicos.

A largada para a modernização da ponte ferroviária foi dada nesta terça, com a instalação do primeiro painel solar. Ao final, serão seis mil metros quadrados de teto solar, o maior do mundo, capaz de produzir 900 mil kWh anualmente.

Quando concluída, a nova estação deverá receber 24 trens por hora. Metade da energia necessária para essa movimentação será suprida pela geração alternativa, o que vai evitar a emissão de 511 toneladas de CO2 na atmosfera.

A empresa por trás da engenharia solar e da instalação é a londrina Solarcentury. Os módulos solares de alta eficiência utilizados são fabricados pela SANYO Electric Co. Uma outra ponte solar conhecida no mundo é a passarela Kurilpa em Brisbane, Austrália, e, mais recentemente, a Bélgica instalou um teto solar sobre uma estação de trem.

fonte:http://exame.abril.com.br/

publicado por adm às 22:39

03 de Outubro de 2011

Em breve todos os parques em Dubai usarão luzes movidas a energia solar, em uma tentativa de reduzir o consumo de eletricidade e minimizar o consumo de recursos naturais.

 

"Todas as luzes em nossos parques serão solares. Nós já começamos a implementá-las e, gradualmente, irá abranger todos os parques. Esta é uma das nossas muitas iniciativas para o desenvolvimento sustentável", disse Hussain Nasser Lootah, diretor-geral do Município de Dubai ao site Gulf News.

Lootah disse que as cidades do século 21 devem evoluir para centros de progresso, que servem como forças para o avanço nacional e global. Nenhuma entidade pode fazer isso sozinha, disse, mas terá indivíduos, empresas e todos os níveis de governo trabalhando juntos para alcançar essas metas. Os líderes do futuro têm a responsabilidade de fazer essa transição acontecer, acrescentou.

O município terminou o trabalho em um parque na zona de Al Sofouh que utiliza sistemas de iluminação solar. Construído em uma área de 1,55 hectares, o parque foi o primeiro a usar esta tecnologia em Dubai.

Lootah também destacou a visão e a estratégia para a cidade nos próximos anos, incluindo as áreas de foco e que iniciativas serão postas em prática para levar adiante uma estratégia sustentável.

O Plano Estratégico do Município visa aumentar a área verde per capita da cidade para 23,4m2. Ele também pretende aumentar a proporção de terras cultivadas em áreas urbanas públicas para 3,15% até o final de 2011.

“Dubai é uma das cidades mais bonitas e tem visto um grande desenvolvimento no passado. Isso tem dado uma boa qualidade de vida, mas houve efeitos colaterais deste desenvolvimento, como o aumento da produção per capita de lixo, o alto consumo de gasolina e alto consumo de eletricidade", disse ele.

"Precisamos garantir um desenvolvimento sustentável e adotar maneiras mais respeitadoras do meio ambiente, como reciclagem de água de esgoto para usá-la na irrigação" disse Lootah.

O município também está trabalhando para converter todos os seus carros oficiais de gasolina para gás. "Nós já convertemos cinco carros. Todos os nossos mil carros serão movidos a gás natural comprimido (CNG)," disse o diretor geral do município.

fonte:http://exame.abril.com.br

publicado por adm às 22:32

01 de Outubro de 2011

 

Células solares CIGS

Pesquisadores do laboratório suíço EMPA bateram um novo recorde de eficiência em suascélulas solares CIGS.

CIGS é uma sigla formada pela iniciais de cobre, índio, gálio e selênio (na verdade um disselento), os materiais usados na construção da célula solar.

Este tipo de célula pode ser fabricado em filmes plásticos e até por impressão jato de tinta.

 

  • Células solares são impressas por jato de tinta

 

A menor eficiência das células solares CIGS - em relação às células fotovoltaicas de silício - deve-se principalmente à baixa temperatura que deve ser usada para que elas sejam aplicadas sobre o plástico.

Os pesquisadores suíços, que trabalham tanto com substratos plásticos quanto de vidro, conseguiram baixar a temperatura ótima para a deposição sem perder eficiência.

Pinturas solares

O novo processo permitiu atingir um recorde de 18,7% na conversão solar-elétrica quando as células CIGS são aplicadas sobre plástico.

Isto as coloca praticamente em pé de igualdade com as células solares de silício, mas com duas vantagens substanciais: um custo muito menor e a flexibilidade do plástico.

Os pesquisadores também demonstraram que o processo é adequado para a aplicação das células solares sobre metais, incluindo o aço- neste caso, a eficiência atingida foi de 17,7%.

Isso abre caminho, por exemplo, para a criação de "pinturas solares" para carros elétricos, que ajudarão a carregar as baterias, assim como o uso da energia solar em uma infinidade de aplicações onde a instalação dos pesados painéis solares atuais não é adequada.

Os pesquisadores criaram uma empresa, chamada Flisom, para aprimorar a aplicação do novo processo de baixa temperatura por um sistema industrial de fabricação contínua por impressoras de rolo (roll-to-roll).

Células solares flexíveis: CIGS e pontos quânticos batem recordes de eficiência
O avanço foi obtido encapsulando os pontos quânticos coloidais com uma única camada de átomos, o que permite seu adensamento. [Imagem: Tang et al./Nature Materials]

Célula solar de pontos quânticos

Por sua vez, um grupo de pesquisadores canadenses, sauditas e norte-americanos criaram a célula solar de pontos quânticos mais eficiente já fabricada até hoje.

Pontos quânticos são semicondutores em nanoescala que capturam os fótons e geram uma corrente elétrica.

Devido ao seu tamanho minúsculo, eles podem ser aspergidos sobre superfícies flexíveis, inclusive plástico. Isso os torna promissores para a fabricação de painéis solares mais baratos.

O avanço foi obtido encapsulando os pontos quânticos coloidais (CQD:collodial quantum dots) com uma única camada de átomos.

Isso é importante porque aumenta a densidade dos pontos quânticos, o que eleva o rendimento do painel solar como um todo. Quanto menor for essa camada passiva de aglomeração, maior é a densidade obtida.

"Nós descobrimos como encolher os materiais de passivação para o menor tamanho imaginável," disse Ted Sargent, da Universidade de Toronto, no Canadá, que tem um longo histórico no desenvolvimento desse tipo de célula solar.

O rendimento das células solares de pontos quânticos ainda é substancialmente menor do que as células solares de silício.

Mas o aumento agora obtido em sua eficiência e a possibilidade de sua aplicação por spray foram suficientes para que a empresa MaRS Innovations se interessasse pela tecnologia para levá-la ao mercado.

fonte:http://www.inovacaotecnologica.com.br/

publicado por adm às 20:04

28 de Setembro de 2011

O aeroporto internacional de Atenas conta a partir desta quarta-feira com o maior parque fotovoltaico do mundo instalado em um aeroporto, abastecendo 9% da energia que consome.

O Ministro da Energia, Giorgos Papaconstantinou, manifestou seu imenso prazer ao inaugurar uma obra que deve produzir 11 milhões de quilowatts/hora (Kwh) em sua máxima capacidade.

"A obra dá um impulso à economia grega em momentos de grandes dificuldades, quando o povo grego deve fazer muitos sacrifícios para garantir sua própria existência, para que não se veja na necessidade de continuar pedindo ajuda", disse o ministro.

Com 28.740 painéis solares distribuídos em uma área de 160 mil metros quadrados, o sistema fotovoltaico custou 20 milhões de euros. Seu efeito no meio ambiente se traduz em uma redução das emissões de gás carbônico de 10 mil toneladas por ano durante os próximos 25 anos, uma eficácia que equivale ao trabalho de purificação proporcionado por 1,5 milhões de árvores.

A Grécia apresentou um ambicioso projeto focado em transformar o país em uma das maiores potências da Europa na geração de energia solar, com o objetivo de atrair 20 bilhões de euros em investimento nos próximos anos e gerar milhares de postos de trabalho.

"Helios", como está sendo chamada a iniciativa, pretende multiplicar a produção de energia solar do país dos atuais 206 megawatts (MW) produzidos em 2010 a 2,2 gigawatts (GW) até 2020, e 10 GW até 2050.

fonte:http://noticias.terra.com.br/

publicado por adm às 22:08

24 de Setembro de 2011

A empresa Energie, da Póvoa de Varzim, introduziu uma nova tecnologia de aproveitamento de energia de painéis solares termodinâmicos que permite absorver mesmo a temperaturas negativas, disse à Lusa o responsável pelo projeto.

Segundo explicou o engenheiro que coordena o projeto dentro da Energie, Francisco Fernandes, esta nova tecnologia vai permitir uma absorção de raios solares na ordem dos 94 por cento, combinando duas vertentes "incompletas", a tecnologia solar térmica e as bombas de calor.

"O fluido que funciona no nosso painel não é água, mas vitrocerâmica, que consegue absorver energia mesmo a temperaturas negativas", disse o engenheiro, salientando que este material se encontra nos 35 graus negativos no seu estado natural, pelo que mesmo uma temperatura de, por exemplo, zero graus permite a geração de calor para aquecer a água de um termoacumulador.

fonte:Lusa

publicado por adm às 15:05

23 de Setembro de 2011

Placa criada por Eden Full acompanha a rotação do sol, de modo a aproveitar melhor a incidência dos raios, a partir de sistema de metais e molas, ou seja, sem gasto de energia extra

Aos 9 anos, Eden Full construiu seu primeiro carrinho movido a energia solar. Ela não parou por aí e seguiu inventando, especialmente depois de entrar na prestigiosa universidade de Princeton, nos Estados Unidos, que a ajudou a patentear um mecanismo simples, mas genial, que custa US$ 10 e promete aumentar a eficiência dos painéis solares em 40%.

Hoje, aos 19 anos, Eden acabou de vencer o Startups for Good Challenge no Social Good Summit, e faturou US$ 10 mil dólares para continuar o desenvolvimento da sua ideia. Não que ela precise de mais um incentivo. Só este ano, ela já ganhou outros 4 prêmios de inovação científica e seus advogados de patente (é sério, ela disse que tem) já fecharam acordos com grandes fabricantes para aproveitar sua ideia. Agora que tiramos o objeto de inveja, qual é a sacada genial de Eden?.

fonte:http://tecnologia.terra.com.br

publicado por adm às 22:02

O Município de Miranda do Corvo avançou com a colocação de painéis solares fotovoltaicos no Centro Educativo local, com vista à produção de energia eléctrica.

O edifício do Centro Educativo, frequentado por cerca de 230 crianças, entrou em funcionamento no anterior ano lectivo, sendo construído de raiz, completamente moderno com todos os equipamentos necessários a um ensino de qualidade.
Apesar de a energia produzida não ser directamente consumida no edifício, pretende-se, desta forma, compensar os gastos energéticos do Centro, tornando-o mais amigo do ambiente.
 
Prevê-se que os painéis fotovoltaicos, com uma área de 30m2, produzam, anualmente, cerca de 6167.9 Kwh, dependendo este valor das horas de sol que se venham a registar. A energia produzida será vendida à rede pública, que fará a sua gestão e utilização, e o equipamento entrará em funcionamento a curto prazo.
 
A introdução de um sistema de microgeração num edifício escolar, pretende também sensibilizar os jovens estudantes para a importância da utilização de energias renováveis e da sustentabilidade ecológica. Saliente-se, igualmente, que o Centro Educativo foi projectado de forma a permitir graus elevados de eficiência energética e, consequentemente, consumos mais racionais.
 
A instalação deste equipamento de microgeração representa um investimento de cerca de 20 mil euros, prevendo-se que o retorno deste investimento ocorra no prazo de 5 anos, contribuindo o equipamento para a obtenção de receitas por parte do Município mirandense e, também, para sensibilizar as crianças para a importância da utilização de energias renováveis.
fonte:http://pombal97.com/
publicado por adm às 22:01

20 de Setembro de 2011

O empresário Alexandre Alves apresentou à Câmara de Abrantes uma garantia bancária de 500 milhões de euros, atestando a sua capacidade de conclusão da fábrica de painéis solares para ali projectada, anunciou hoje a autarquia.

 

A Câmara de Abrantes havia solicitado em agosto à RPP Solar a entrega de documentos de garantia da efectiva conclusão das obras da unidade industrial de painéis solares ali em construção, na sequência dos sucessivos atrasos verificados, tendo alertado o empresário para a declaração de caducidade de licenciamento da obra caso os mesmos não fossem entregues.

Com a entrega de garantias da conclusão do empreendimento industrial, o empresário conseguiu evitar a declaração de caducidade de licenciamento da obra e obteve ainda da autarquia um prazo adicional de 60 dias úteis para conclusão da primeira fase da obra e início da produção de painéis fotovoltaicos.

A presidente da Câmara de Abrantes, Maria do Céu Albuquerque, afirmou que a entrega das garantias bancárias – “acompanhadas de uma carta de um banco” – vão ao encontro do solicitado pela autarquia e incluem um cronograma de planeamento de conclusão da fábrica.

“Os documentos entregues atestam a efectiva capacidade do empresário para concretizar a primeira fase do investimento pelo que vai ter mais 60 dias úteis para a concretizar e começar a produzir”, acrescentou.

Segundo a autarca, os pavilhões do empreendimento industrial “estão já construídos, embora vazios”, tendo observado que as obras a realizar implicam a colocação de uma primeira linha de montagem de painéis fotovoltaicos, arranjos exteriores e acessibilidades.

“Até ao final do ano deve estar tudo pronto para o início da produção de painéis”, apontou.

A nova fábrica de painéis solares do empresário Alexandre Alves, que está a ser construída em Concavada, Abrantes, num terreno com 82 hectares, anuncia a “agregação” de toda a cadeia de produção de energia solar, implicando um investimento global de “mais de mil milhões de euros e a criação de 1.900 postos de trabalho” até 2013.

Os sucessivos atrasos no início da produção, que estava anunciada para o início de 2010, levaram o executivo da Câmara de Abrantes, de maioria socialista, a propor a caducidade do alvará de licenciamento daquela unidade industrial pela não conclusão das obras no prazo fixado na licença, uma medida que o empresário conseguiu evitar.

fonte:http://www.correiodoribatejo.com

publicado por adm às 23:34

18 de Setembro de 2011

Mais de 500 habitantes da cidade de Haining, na província de Zhejiang, concentraram-se frente à empresa Zhejiang Jinko Solar para protestar contra a alegada poluição produzida pela fábrica de painéis solares, informaram as autoridades.

 

 

 

Os protestos decorreram na quinta-feira, tendo alguns protestantes invadido a empresa e causado estragos em oito veículos da companhia e quatro veículos da polícia.

O governo disse que pediu à fábrica para suspender a produção, e que os líderes locais vão reunir em breve com os representantes da localidade.

 

Fonte: Diário Digital

publicado por adm às 19:30

pesquisar
 
arquivos
2015:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2014:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2013:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2012:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2011:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2010:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


links