06 de Novembro de 2011

A líder mundial do sector está a crescer e quer ser um dos três maiores operadores em Portugal.

A IBC Solar, o maior integrador de sistemas de energia solar fotovoltaica do mundo, revela que está a crescer no mercado português. Mas ambiciona mais: quer ser um dos três maiores operadores em Portugal. Isto apesar da falta de financiamento que está a prejudicar novos investimentos no País, alerta Juan Manuel Presa, director da empresa para Portugal. "Temos clientes industriais que estariam dispostos a investir em painéis fotovoltaicos, mas que não conseguem financiamento", avança o gestor.

A situação, realça, "não é um exclusivo de Portugal, uma vez que também se nota noutros países onde estamos". "O mercado português é pequeno, mas tem cada vez maior importância, pois com a legislação de microgeração abrem-se mais oportunidades."

Sobre o Orçamento do Estado para 2012 e o eventual travão às energias renováveis, o responsável prefere destacar que, "dentro das renováveis, existem vários segmentos e o solar está em pleno desenvolvimento". Já sobre o aumento do IVA, defende: "Todos temos de contribuir para melhorar a situação, e o fotovoltaico vai ser tão afectado como todos os outros sectores de actividade. Mas é importante que se continue a apostar em energias alternativas, sobretudo num país como Portugal que não dispõe de combustíveis fósseis e que tem um recurso natural tão abundante como o sol". Juan Manuel Presa assume mesmo que "a IBC Solar quer estar entre os três primeiros ‘players' do mercado português". E, embora admita que "o consumo vai diminuir", prefere realçar que "todos somos obrigados a consumir electricidade para viver".

Novas apostas

A multinacional alemã apresentou na semana passada um novo módulo solar com características que permitem a sua utilização em edifícios históricos protegidos. "Este painel é fabricado na Alemanha e tem dez anos de garantia. É um painel bastante inovador uma vez que tem um rendimento acima da média e, apesar de bastante fino, é capaz de suportar grandes cargas de neve", explica. A IBC Solar está ainda interessada no concurso lançado pelo Governo, no final do ano passado, para instalação de centrais fotovoltaicas, para a atribuição de 150 megawatts (MW) de potência eléctrica, distribuídos por 75 lotes, de dois MW cada.

Fundada em 1982, a empresa alemã factura 972 milhões de euros. Está representada em 13 países e é líder na Alemanha em sistemas de energia solar fotovoltaica.

fonte:http://economico.sapo.pt/

 

publicado por adm às 23:19

pesquisar
 
arquivos
2015:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2014:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2013:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2012:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2011:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2010:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


links